Quais as probabilidades do feto ter malformações se a gravidez continuar?

 

Se a gravidez continuar mesmo depois de usar Misoprostol, o risco de vir a ter um bebê com malformações fetais é aumentado. No entanto, este risco é pequeno, menos de 1 em 1000. Este risco é menor do que o risco de vir a ter um bebé com Sindroma de Down.
Aconselhamos as mulheres com gravidezes contínuas a se submeterem a abortos cirúrgicos ou medicinais para interromper a gravidez e assim a evitar completamente o risco de um feto mal formado.

Mais informação:

Estudos sugerem que o feto que tenha sido exposto apenas à Mifepristona e que não seja abortado vai continuar a desenvolver se normalmente.26 Exposição do feto ao Misoprostol pode provocar malformações, tais como defeitos no crânio e anormalidades nos membros (o chamado Sindroma Mobius).59 Contudo, o risco de ter um bebê com malformações depois do uso do Misoprostol continua a ser muito baixo e dificilmente mensurável.47

Para comparar: o risco de ter uma criança com o sindroma de Down é de 1/1,300 para uma mulher de 25 anos; com 35, o risco aumenta para 1/365. 52 Apenas mulheres grávidas com mais de 35 anos fazem despiste do Sindroma de Down o que indica que o risco do feto ter o sindroma de Down menor que 1 e 365 é considerado aceitável. Este é um risco muito maior que o do Sindroma Mobius como resultado do uso de Misoprostol (menos de 1/1000).

Por causa de restrições na distribuição da Mifepristona, muitas mulheres actualmente têm que usar apenas Misoprostol, ainda que seja menos eficiente. Ao usar o protocolo mais eficaz que se encontra disponível, este serviço de ajuda a tornar o aborto medicinal num procedimento seguro para as mulheres e reduz o risco da gravidez prosseguir. Reduzindo assim o risco dessa gravidez resultar no nascimento de crianças com malformações, nas gravidezes que continuam esse risco continua a ser muito pequeno.