Layla

Share your story

No dia 28 de outubro de 2018, fazia uma semana que eu vomitava todos os dias ao acordar e passava o resto do dia mal, com náusea, não conseguia comer nada, estava emagrecendo e pálida, mas pensava estar com alguma virose e não fui a UPA, não adiantaria muito ir, capaz de morrer aguardando atendimento. Comprei dramim e só assim conseguia fazer as coisas do dia dia, um dia fui para o estágio e não tinha conseguido comer nada, fui em uma farmácia do lado e comprei dramim e um teste de farmácia para desencargo de consciência, cheguei na faculdade, subi dois lances de escada para ir no banheiro mais deserto e lá estava eu aguardando aquelas listras aparecerem quando finalmente apareceu a segunda e meu mundo desabou, precisei me recompor e voltar ao estágio e fingir que nada tinha acontecido, mandei uma mensagem para o meu namorado dizendo que estava grávida e que não era para ele contar pra ninguém pois eu não sabia o que fazer, larguei o celular e fui fazer minhas coisas, no fim da tarde quando peguei o celular já tinha mensagem dos pais dele me parabenizando pelo bebê quando eu tinha pedido segredo pra ele, perdi o chão, não conseguia me imaginar sendo mãe, eu estava no 8° período do meu curso que fazia com a maior dificuldade do mundo pois não tenho pai e nem mãe e eu teria que largar tudo, todo o meu sonho pra cuidar de uma criança que eu não desejava, comecei a me odiar, odiava ele por me colocar nessa situação, por ter contado para todos quando eu pedi segredo, nosso relacionamento já estava ruim depois disso só piorou, as brigas aumentaram e eu pedia pra ele conseguir com alguém remédios ou um lugar pra eu abortar e ele conseguiu um contato que vendia os remédios, eu ia tomar eles em casa mas o meu namorado não frequentava minha casa nesse período e não queria me deixar fazer sozinha então fui para casa dele, eu estava grogue por tomar tanto dramim, cheguei na casa dele e ele tinha passado o dia bebendo, não estava suportando a ideia de me deixar fazer isso e brigamos feio, falamos coisas que não deveriam ser ditas por ninguém e então o cara chegou com os remédios e explicou como deveria tomar, 2 comprimidos via oral, introduzir 2 e aplicar a injeção para as contrações. O idiota do meu ex ainda quebrou o frasco com o remédio e teve que ir atrás de outro, eu paguei pelos remédios sozinha pq ele não tinha dinheiro, quando anoiteceu ele falou para começar, eu chorava desesperadamente e ele também me pedindo pra não fazer isso, que podíamos passar por aquilo juntos, mas eu já havia comprado o remédio não ia voltar atrás, então ele aplicou a injeção em mim, desmaiei na hora pois tenho muito medo de agulha, mas ele me acordou, tomei os remédios e introduzi, fui dormir, no meio da madrugada começou as dores, primeiro veio a dor de barriga, depois comecei a vomitar e então a cólica começou, parecia que ia rasgar minha coluna ao meio, eu não tinha força nas pernas, não conseguiu ficar no ar-condicionado, fiquei na sala, foi quando começou, eu tinha certeza que morreria naquela noite ou seria presa por ir ao hospital. Mas eu suportei, não podia tomar remédio pq se não pararia as contrações, então aguentei firme, meu namorado me segurava para todos os lados, segurava minha mão, massageava minha barriga, colocava compressa quente, mas nada adiantava, foi quando desceu, uma bola com alguma coisa branca dentro, eu tinha certeza que era um menino, apesar de pelos meus cálculos só ter 8 semanas, chamei ele para olhar eu não carregaria aquela culpa sozinha, ele saiu vomitando, as cólicas aliviaram e eu consegui dormir ali mesmo na sala, de manhã eu fui para o quarto e dormi o dia todo, quando acordei todo o enjôo e náusea tinha desaparecido magicamente, foi o primeiro dia de vários que eu consegui comer, me sentia feliz e culpada, a mãe dele me.perguntou se eu tinha menstruando e eu confirmei, mas acho que ela não acreditou quando fui me banhar saíram vários pedaços de pele do tamanho da minha mão, fui para casa e passei uma semana sentindo dor e sangrando, levantava pela manhã e formava poças de sangue no chão mas eu tinha muito medo de procurar um médico, passei por longos 3 meses difíceis sozinha, o meu relacionamento acabou junto com minha gravidez, resolvi tomar anticoncepcional para parar o sangramento, não aguentava mais e parou. Me sentia muito culpada e envergonhada com isso, mas hj quase não lembro mais, hj já consegui concluir minha graduação, estou em um relacionamento saudável, não penso em ter filhos. Não desejo que ninguém passe pelo o que eu passei, ainda mais sozinha.

2018 Brazil

What were your feelings about doing the abortion/s?

How did you do the abortion?

What was your situation at this time?

legal/illegal

What is your religion?

Naad

I had an abortion when I was 23 years old

Macarena

Yo aborte , con oxapros en Buenos Aires tengo 24 años

Luka

Hice lo mejor que pude, estando bajo toda la presión del mundo.

Ivana

I had an abortion and never talked about it with anyone

Ashley Engbrecht

At the young age of 17, I was the victim of sexual assault. There is nothing…

Lola

Mi decisión

Naii C

Era apenas uma menina de 16 anos, não usava anticoncepcional mantinha relação…

Priscila

Há 5 anos atrás fiz um aborto,e hoje vejo claramente que foi a melhor escolha e…

Ale

Sin remordimientos

Julieta Iovaldi Curutchet

Decidí desde el principio no compartir esa experiencia con la pareja de ese…

Ania Kijawska

Mam dziecko, dom, męża zdecydowałam się na aborcję.

Anonimowa

Dwie kreski...Te dwie czerwone kreski na białym papierku były jak kubeł zimnej…

Jay

I had a medical abortion when i was 18 years old at 5 weeks pregnant. Yes, it…

Aurora Villavicencio

Aborto con Misoprostol 5 semanas

Bobbie

The first time I was too young the next I was old enough to know I had no right…