Sarah

Share your story

Oi, gente. Vim deixar o relato sobre o meu processo. É um pouco extenso porque precisei de mais de uma tentativa devido a alguns erros na primeira vez. Mas fiz questão de descrever tudo que aconteceu pra ajudar quem passe pela mesma situação.

Descobri que tava grávida dia 30 de agosto, com exatas 5 semanas. Na verdade, desde dia 17 de agosto, quando minha menstruação não desceu, eu já sabia que estava grávida. Tenho 36 anos e NUNCA tinha tido um atraso. Eu sentia que era isso, mas teimava em não acreditar por motivos tais quais: desde os 13 anos escuto médicos dizerem que provavelmente eu não poderia engravidar, eu usava anticoncepcional e, mesmo usando, ainda tomei uma PDS após a única relação sem camisinha com o rapaz com quem estou me relacionando há alguns meses. Então, ficava me enganando atribuindo o atraso à PDS. Até que resolvi encarar os fatos e fazer exame de farmácia e sangue que confirmaram o diagnóstico. A partir daí, veio o que a maioria de vcs passou: medo, desespero, descrença. Eu nunca quis ser mãe. Nem quando era adolescente sonhadora, nem quando fui casada, muito menos agora. Soube, de imediato, que iria optar pelo aborto, mas não fazia a mínima ideia de como. Não contei nada pra ninguém a não ser para uma grande amiga, que foi meu apoio esse tempo todo. Nem mesmo para o rapaz com quem continuo namorando. Ele, antes de ficarmos juntos, era meu amigo e sei que ia querer ter o filho. Mas essa decisão era minha. A partir daí, começamos, eu e minha amiga, a pesquisar tudo sobre o tema e tentamos com uma conhecida nossa farmacêutica sondar a possibilidade de conseguir o Cytotec por aqui. Diante a impossibilidade, optei por comprar com uma moça de fora cujas as indicações positivas li em vários depoimentos nos sites sobre o tema. Procurei o nome dela na lista de golpistas e não constava em nenhuma. Confiei e comprei os primeiros 06 comprimidos no dia 02 de agosto. Vale ressaltar que a moça foi muito amorosa, profissional e transparente desde o primeiro contato. Agiu, durante esse tempo, como uma amiga também. Enfim, transferência feita, ela postou as pílulas no mesmo dia, mas por uma série de atrasos dos Correios e o feriado de 07 de setembro no meio desse tempo, o remédio só chegou dia 09 de setembro pela manhã. Comecei, então, o jejum às 14h do dia 09 de setembro, uma sexta-feira. Moro com minha mãe, mas não contei pra ela o que estava acontecendo. Então, ia passar por isso sozinha (não é indicado, eu assumi o risco), por mais que tenha deixado minha amiga de sobreaviso e meu irmão more vizinho à minha casa. Às 23h15 coloquei os primeiros quatro comprimidos embaixo da língua. Em menos de 15 minutos comecei a ter calafrios intensos. Tremia a ponto de não conseguir segurar o cel pra digitar (minha amiga ficou acompanhando em tempo real pelo whatsapp e eu não conseguia nem digitar dizendo o que tava acontecendo). Logo veio a febre. Chegou a 39º em um momento. Porém, NADA de cólicas ou sangramento. 02h15 eu coloquei os outros dois embaixo da língua pra dissolver. Nesse momento o frio já havia passado e a febre estava em 38,2º. Uma meia hora depois, veio mais frio, mas muito leve e bem passageiro. A febre tb diminuiu. Tive uma ligeira dor de barriga. Mas NADA de cólica ou sangramento. Tava tão tranquilo que peguei no sono, desanimada já achando que não tinha dado certo. Por volta de 4h30, acordei com uma dor insuportável. Parecia que algo estava me rasgando por dentro. Nunca senti uma dor daquelas e eu sou particularmente forte pra dor, é difícil algo me derrubar. Não conseguia achar posição na cama. Fui ao banheiro e só sentada no vaso conseguia não chorar de dor, mas suava frio de tanta agonia. Porém, nada de sangue. Umas 6h00 minha mãe acordou e me viu chorando de dor na cama. Disse pra ela que era cólica. Ela me ofereceu e insistiu pr'eu tomar remédio e eu disse que não queria (tinha medo de tomar até os remédios permitidos e, por isso, abri espaço para o primeiro erro acontecer). Pouco depois, ela veio com um copo de suco pra mim. Eu tava em jejum de sólidos e líquidos desde 14 horas do dia seguinte. Já eram 6h40 da manhã do sábado. Aceitei. Mas só tomei meio copo. Não conseguia nem sentir gosto de tanta agonia. Porém, de uma hora pra outra, capotei dormindo. Acordei às 10h30. Sem dor. Sem sangramento. Sem entender nada. Fiquei arrasada. Falei com a moça que me vendeu e ela me aconselhou a esperar as 72h de ação do remédio, mas nem ela entendia pq da dor ter ido de uma hora pra outra. Resumindo a história: descobri, depois, que minha mãe tinha colocado buscopan no suco pr'eu melhorar, já que eu não queria tomar remédio. O Buscopan corta imediatamente o efeito do cytotec! Fiquei com muita raiva! VCs não imaginam! Mas não podia nem culpar a pobrezinha. Ela não sabia e, na cabeça dela, tava me ajudando. Enfim.... na terça, dia 13 de setembro, fim uma ultrassom e o feto estava lá: saudável e dentro do normal. Saí da consulta arrasada, mas firme no propósito. Na quarta, dia 14, entrei em contato com a mesma moça que me vendeu os primeiros e encomendei mais 06 comprimidos, que chegaram aqui na segunda, dia 18. Nesse meio tempo, conversando com ela, lembrei de contar que sou gastroplastizada há 09 anos. Sou tão acostumada com isso que esqueci de contar que tinha feito redução de estômago. Ela, então, sugeriu, devido ao fato da minha absorção ser reduzida, utilizar os novos comprimidos de uma maneira diferente (apesar dela indicar em situações regulares o uso apenas sublingual). Ela me explicou que já tinha atendido 4 meninas com redução e que, após a primeira delas, viu que o uso intravaginal era mais certeiro no nosso caso. Na terça, dia 19 de setembro, então, me preparei pra segunda tentativa. Primeira providência: escondi todos os remédios da casa e deixei só ibuprofeno à mão, pra mamãe não inventar de me dar remédio de novo. Aproveitei o jejum da noite e inseri, o mais fundo que pude, os primeiros quatro comprimidos às 9h15. Não senti absolutamente NADA! NADA NADA NADA!!!! Já comecei a chorar achando que mais uma vez ia falhar. Quatro horas depois, às 13h15, inseri os outros dois o mais fundo possível e coloquei umas almofadas embaixo do bumbum, mantendo as pernas levantadas. Mais uma vez, NADA! Nem enjôo, nem frio, nem febre, nem dor de barriga, nem cólica, nem nada. Umas 18h30 tava tão desanimada que levantei e fui beber água e comer. Já tinha dado por perdido. Aí, de uma hora pra outra, mais ou menos umas 19h30, comecei a sentir uma cólica muito, muito leve. Menor que na menstruação. Umas 20h40 a cólica tava média e me deu dor de barriga. Umas 21h30, ainda com a cólica de média pra forte (algo totalmente suportável e fichinha diante a dor que senti na primeira tentativa), senti vontade de fazer xixi. Quando sentei no aparelho, percebi que algo caiu. Foram dois "ploft" seguidos. Não consegui identificar o que era. A água tava muito vermelha de sangue, mas vi que um dos coágulos tinha umas coisinhas amarelas. Não dei muita fé porque não doeu, não teve aquele lance de bolsa estourando, não vi nada parecido como descreveram o saco gestacional. Achei que eram só coágulos e esperei. Passei o resto da noite até umas 2h30 da manhã ainda com muita cólica e sangrando o suficiente pra encher um absorvente noturno por hora. Mas não saiu nada mais. Super tranquilo. Dormi e às 8h30 da quarta acordei sem cólica e sem os enjôo matinais. Meus seios ainda tavam pouco doloridos e a barriga ainda bem dura. Sangrei regularmente quarta, quinta, sexta. As cólicas iam e vinham. Horas mais leves, horas mais intensas. Coágulos saíram duas vezes só e tão pequenos que eram quase imperceptíveis. Mais uma vez achava que tinha dado errado.Foi tudo muito, muito tranquilo. Hoje, amanheci sangrando ainda e com uma leve cólica. Resolvi ir logo fazer outra ultra só pra saber o que deu e encomendar mais remédios pra terceira tentativa. Porém, para o meu completo alívio, o médico não encontrou mais imagem de saco gestacional, nem restos, nem nada. Eu perguntei umas mil vezes se ele tinha certeza, pq eu não acreditava que tinha sido tão tranquilo tudo. Mas tava lá o resultado: útero limpo. Vim pra casa flutuando! Continuo sangrando e com cólica. Mas grata ao universo por ter dado certo. Sempre me precavi mas, agora, vou dobrar as atenções! Não quero passar por isso nunca mais. E pra vc, que tá nessa situação, calma! Sei que desespera, sei que machuca, mas o nervosismo é nosso inimigo nessas horas. Fiquei tão nervosa que acabei sendo derrotista. Tudo tinha dado certo e eu sofrendo achando que não. E entenda que cada corpo é um corpo. O seu vai reagir do jeito que tiver que reagir. Não condicione seu processo aos sintomas descritos pelos outros. Faça direitinho e confie. O mais importante: não deixe de fazer a ultra pra confirmar o resultado. Pesquise muito, converse com alguém de confiança, ponha sua cabeça no lugar e siga a decisão que vc acredita ser melhor pra vc. É sua vida, seu maior bem. Só cabe a vc essa decisão. Força!

2016 Brazil

What were your feelings about doing the abortion/s?

How did you do the abortion?

Tranquila dentro do possível.

What was your situation at this time?

Did the illegality of your abortion affect your feelings?

Não.

How did other people react to your abortion?

Só uma amiga soube e me apoiou desde o começo.

legal/illegal

What is your religion?