Você precisa fazer uma ecografia/ ultrassom depois de fazer um aborto medicinal?

 

Se não tem sintomas de complicação, não é necessário fazer uma ecografia/ultrassom depois de um aborto medicinal.

Ao fazer uma ecografia/ ultrassom você pode saber se a gravidez foi interrompida mesmo poucos dias depois do aborto, sobretudo se você não tem a certeza que o aborto foi bem sucedido. Você também pode fazer um teste de gravidez 3-4 semanas depois de usar os medicamentos. Se você fizer o teste antes de terem passado 3-4 semanas é possível que o resultado seja um falso positivo, porque ainda tem hormônios da gravidez no seu corpo.

O aborto medicinal é em tudo semelhante a um aborto espontâneo, trata-se de um processo que ocorre ao longo do tempo e o seu corpo pode precisar de várias semanas até expelir todos os tecidos e produtos da gravidez do útero. Isto é normal. Se quiser pode fazer uma ecografia/ ultrassom 10 dias depois de usar os medicamentos, apenas para confirmar o mais cedo possível que a gravidez foi interrompida.

Mesmo que a gravidez tenha terminado, muitas mulheres continuam a ter durante várias semanas sangue e tecidos no útero. Se não tiver nenhum sinal de complicação como dores fortes na barriga, febre, sangramento excessivo ou corrimento vaginal anormal (com mau odor), não há necessidade de nenhuma intervenção cirúrgica como curetagem, mesmo que isso seja sugerido pelo médico.
O que é curetagem/aspiração por vácuo? É necessária após um aborto medicamentoso?

Mais informação científica:


A investigação tem mostrado que para fazer um diagnóstico de aborto incompleto correto, os dados da ecografia/ultrassom têm de ser interpretados junto com os dados do exame clínico (sinais de complicação como sangramento excessivo, dores fortes que contiuam vários dias, febre e/ou corrimento vaginal anormal), na medida em que se sabe que os resultados da ecografia/ultrassom depois de um aborto medicinal são muito semelhantes em abortos com e sem complicações. 69

A evacuação cirúrgica do útero (através de curetagem/ aspiração por vácuo) em mulheres bem clinicamente é desaconselhada, mesmo quando é possível ver na ecografia/ultrassom que existem alguns restos do aborto no útero. Na maioria dos casos esperar pela próxima menstruação, tal como se faz nos casos de aborto espontâneo, é o suficiente, excepto nos casos em que a gravidez continua. 70

A investigação mostra que uma semana depois de um aborto medicinal cerca de 77% das mulheres que fizeram um aborto medicinal de primeiro trimestre e que não têm complicações continuam com restos de tecido e sangue no útero. 71

Globalmente apenas surgem complicações, devido à retenção de produtos da concepção (aborto incompleto), em 3% dos abortos medicinais feitos no primeiro trimestre. Mesmo que os resultados da ecografia/ ultrassom mostrem um espessamento do endométrio ou aumento do volume do útero isso não significa que existe uma complicação ou que é necessária uma intervenção médica. 72