Sofia Arins

당신의 이야기를 공유합니다

2014 Brazil

What were your feelings about doing the abortion/s?

How did you do the abortion?

Meu nome é Sofia, moro no Brasil (onde aqui o aborto é considerado um crime), tenho 24 anos, durante 6 anos tomei anticoncepcional Ciclo 21 regularmente, no entanto, nos últimos 2 meses desisti do anticoncepcional. Neste meio tempo conheci uma pessoa que se tornou meu namorado em pouco tempo, ao realizar nossa primeira relação sexual e por insegurança tomei o Diad (pílula do dia seguinte) conforme a prescrição (1º pílula em até 24h após o ato sexual e a próxima 12h depois da 1ºdose). Logo na sequencia (mesmo sem o escorrimento da menstruação) continuei tomando meu anticoncepcional, o que foi uma grande besteira. Em poucos dias, percebi meu corpo inchado e junto a ela dores nos seios devido seu volume, bem como uma leve infecção urinaria. Mesmo a base de Cystex e Pyridium os incômodos urinarios não saiam. Diante disso, marquei uma consulta de rotina com uma ginecologista e relatei o ocorrido, por via das duvidas, foi solicitado o Exame Beta (exame de sangue para detecção de gravidez). No caminho compareci a uma farmácia e comprei um teste de gravidez (Maxtest) que por sinal em poucos segundos resultou negativo. No mesmo dia, a noite saiu o resultado do exame Beta e para minha surpresa estava gravida, o mesmo deu como resultado “>1000mUi/mL”, onde na legenda do exame dizia que “Compativel com Gravidez: Superior a 25 mUI/mL. Ou seja, eu estava super gravida! Fiz umas pesquisas sucintas na internet, que de acordo com o resultado obtido, estava de 3 a 5 semanas de gestação. Ou seja, aquela terça feira, não era uma simples “terça feira” em minha vida, nem sequer uma semana qualquer! Minha vida havia mudado muito. Conversei com meu namorado, passamos a noite conversando a respeito, é pertinente informar que estabelecemos uma relação a distancia, ele mora num estado vizinho ao meu e nos vemos com frequência apesar disso. Diversas coisas me passaram na cabeça, não queria acreditar na veracidade daquele resultado, haja vista que tomei cuidados contraceptivos (exceto camisinha) para evitar a gravidez. “Será que o Ciclo 21 + Diad seria um boom de hormônio que afetou o resultado?”, isso chegou a passar inocentemente pela minha cabeça. No entanto, seria em vão diversas teorias, o primeiro passo foi comparecer no 1ºhorario na ginecologista e apresentar o exame, bem como, solicitar orientações. Como já era de se esperar: Sim, eu estava gravida! A medica realizou uma guia de exame, o qual compareci num laboratório de diagnostico mais próximo para uma ultrassonografia e visualizar as condições da gestação. Consegui um encaixe e poucos minutos estava numa maca realizando o exame e descobrindo espantosamente que estava gravida a 10 semanas e 6 dias, com um feto ainda em formação, medindo 9cm, foi possível escutar seus batimentos cardíacos, ver que os membros já estavam se formando, não foi possível ver o sexo, nem sequer se tinha alguma deformidade, pois ainda era muito recente. Também foi possível ver que o mesmo estava devidamente encaixado, estava tudo nas normalidades e a data prevista do parto seria para 5Fev2015. Nas minhas contas: engravidei no inicio de maio/2014, mesmo com 2 meses sem tomar o anticoncepcional Ciclo 21 e a base de Diad (pílula do dia seguinte) devidamente utilizado. As imagens do exame foram entregues em poucos minutos, retornei a medica, que apenas me acalmou com a situação e pediu pra que retornasse daqui 1 semana para com a “cabeça mais fria” pudesse sequenciar com o tratamento. A justificativa dada pela medica, em relação aos remédios que utilizei foi: todos remédios tem uma pequena margem de erro, outros são a base de “farinha” (sempre bom utilizar uma farmácia de confiança, bem como, de um laboratório farmacêutico conceituado), estava no auge do meu ciclo fértil e nas “leis de Deus” a minha hora tinha chegado! Estava bastante aflita com a situação, com o resultado e não queria acreditar que aquilo estava acontecendo. Não foi uma gravidez planejada, inclusive, usei meios contraceptivos para evita-la (com a exceção de preservativo, mas tomei remédios regularizados para isso). Estava namorando a pouco tempo e também tenho um intercambio com todas despesas pagas para inicio do ano. Enfim...conversei com meu namorado e chegamos a conclusão que um aborto neste caso seria o mais viável. Em árduas pesquisas na internet em conjunto com meu namorado, tivemos acesso a milhões de informações, das mais agradáveis, confiáveis ou não. Contudo, as mesmas informavam que era “seguro” realizar um procedimento com até 12 semanas de gestação, ou seja, nosso tempo era curto! Mas como realizar um procedimento? A quem recorrer? É um assunto muito intimo e polêmico no país onde moro, quem deliberadamente irá relatar isso? As vezes uma amiga próxima fez, mas por receio sobre minha opinião, não me disse. Eu entendo, nessas horas não queremos que nos julguem, mas que nos apoiem. Não importa os motivos, é muito pessoal. Lembrei de uma prima que no ano anterior fez o procedimento de Sucção numa clinica clandestina próximo a sua casa, em outro estado, mas aqui mesmo no Brasil. Conversamos, ela muito me apoiou e a poucas horas estava emitindo uma passagem aérea para comparecer ao local no outro dia ainda de manha. No aeroporto para minha surpresa, a clinica foi fechada e os envolvidos (medico, porteiro e secretaria) foram presos um pouco depois que minha prima fez o procedimento. Ainda assim compareci na casa de minha prima, o qual muito me apoiou em qualquer decisão que eu tivesse, seja manter ou não com a gestação. Ela me tranquilizou um pouco, mas ainda assim, estava com meu “problema” pendente e precisava buscar soluções. Em conjunto com meu namorado com pesquisas na internet, descobrimos diversos remédios abortivos e pessoas que ilegalmente fazem o extravio do mesmo em hospitais/farmácias, outras que adquiram em outros países legalizados, mas no entanto, não sabíamos de sua procedência. Importante lembrar que a possível causa da gravidez, foi uma falha de um remédio legalizado que se vende em qualquer farmácia, portanto, como podemos ter mais um voto de confiança num remédio que é ilegal no Brasil? Tambem nos preocupava a posologia do remédio, afinal...quantos tomar? Qual intervalo de tempo? Bem, era nossa única alternativa naquele momento de desespero. É ate hipócrita de minha parte dizer, mas eu orava, nem isso eu conseguia, pois as “leis divinas” são contra isso. Nunca tive uma opinião formada a respeito, nunca me passou pela cabeça passar por essa experiência, mas sei que minha estrutura psicológica e financeira não era favorável a sequenciar com aquela gravidez. Voce pode estar lendo esse relato e falar: “Na hora de fazer vc não se cuidou ne? Aguente as consequências”, mas você está enganado, Simmm eu me cuidei! Fatalmente não usei preservativo, mas tomei a Pilula do dia Seguinte (Diad) o qual comprei numa rede de farmácia conceituada na cidade, tomei anticoncepcional, mas que culpa tenho se o mesmo não teve efeito? A proposito, pertinente informar que durante 6 anos regulamente tomei o anticoncepcional (ciclo 21) e no mês seguinte, pelas minhas contas, já estava lamentavelmente, gravida! Mas prosseguindo com a historia... Por um momento de “estalo”, já no dia seguinte (quinta feira) com as esperanças um pouco encerradas devido o fechamento da clinica clandestina e a forte insegurança no uso de remédios abortivos, liguei para uma amiga de outro estado, pelo simples fato de querer receber um apoio moral. Bem...ela não apenas me deu o apoio, mas como um contato de um medico que possivelmente faria o procedimento cirúrgico de extração do feto. Por telefone marcamos uma consulta medica com o mesmo, que situava-se numa clinica em sua cidade, emiti outra passagem aérea (havia uma boa quantia de milhas a disposição, que sorte!) e ainda tive que fazer um trecho de ônibus para comparecer pontualmente na tal clinica, que ficava a aproximadamente 1000km de onde eu estava. No caminho eu estava com uma esperança e uma expectativa muito forte que desta vez daria certo. Consegui finalmente chegar no local e no horário combinado. Muito aflita, fui acalmada por minha amiga e em poucos minutos fui chamada para a consulta medica, as 17h numa quinta feira. Apresentei todos os exames ao medico, relatei todos os ocorridos e meus planos, ao identificar que já estava de 11 semanas, o mesmo observando meu desespero, disse : “Se deseja interromper essa gravidez, deve fazer isso o quanto antes, acima de 12 semanas eu não farei”. Muito me aliviou quando ele disse isso, afinal, era o que mais queria! No entanto, foi cobrado um valor de 8mil reais a vista e em dinheiro, seria um processo de curetagem, o qual, tomaria uma anestesia, seria introduzido um “bico de pato”, e o medico faria uma “raspagem” do útero e a extração de toda massa que há internamente. A clinica não era nada clandestina, muito pelo contrario, o medico atendia pelos principais planos de saúde, na sala de espera observei diversas gravidas fazendo tratamento com o mesmo, fiz uma busca na ficha do medico através do seu CRM e para minha alegria, não havia nenhuma denuncia ou algo que o condenasse negativamente. Ainda assim, ele tinha seus cuidados e não expunha tal atitude a qualquer pessoa, se por acaso eu aceitasse realizar o procedimento, deveria ligar para um numero de “celular secreto” dele, o qual ele somente atenderia do telefone que eu o passei. Conversei com meu namorado que ficou aliviado em saber que conseguimos um contato e já levantamos o dinheiro. O mesmo estaria presente na cidade sábado as 12h30 e as 16h eu marquei para que fosse efetivado a cirurgia. Depois de dois dias intensamente corrido, onde turbilhão de informações eu recebia, no qual conciliava com insônias e falta de apetite, finalmente tive uma boa noite de sono. Mal podia esperar em ver meu namorado e lhe dar um merecido e confortável abraço. Enfim... liguei para o medico no dia seguinte, no tal numero de “celular secreto”, para marcar a cirurgia, a recomendação era apenas estar em jejum de no mínimo 6 horas, isso evitaria um possível enjoo e vômitos. No horário combinado meu namorado chegou, conversamos e detalhadamente passamos as nossas experiências obtidas nos últimos dias, com muito apoio estávamos convictos que lamentavelmente seria a melhor coisa a ser feita. Importante frisar, que para quem esteja lendo esse relato, o dialogo entre o casal é extremamente importante para que se defina o relacionamento futuro dos dois. Poucas horas depois estávamos na clinica. O medico se apresentou ao meu namorado e repetiu todos os procedimentos utilizados: - Uma anestesia seria aplicada na veia do braço o qual eu teria uma sensação de estar dormindo - Um bico de pato seria introduzido para que pudesse dilatar as vias, bem como, fazer curetagem, onde é feita com uma “colher” utilizada para raspar o interior do útero - O procedimento levaria uma media de 40minutos a 1hora, mas somente sairia da clinica, após o medico saber que eu realmente estaria boa, houve casos, em que pessoas que tiveram sono profundo e saíram dali após 5h, isso é muito variável. - Após o procedimento, um absorvente interno cirúrgico seria introduzido em mim para que evitasse sujar a roupa ou pingar sangue no caminho. Tambem me passou alguns remédios que deveria tomar na sequencia: - Amoxilina, para infecção o qual deveria tomar durante 7 dias a cada 8h - Flotac, antinflamatório, o qual deveria tomar durante 5 dias a cada 8h - Monuril, para a infecção urinaria que estava sentindo, trata-se de um sache que deve ser misturado seu conteúdo na agua, inclusive também recomendado para gravidas. Muito bom! - Diane, anticoncepcional de um bom laboratório farmacêutico (Bayer). Após a cirurgia iria me alimentar e poderia ingerir os medicamentos acima relatados, inclusive o anticoncepcional. Falando em anticoncepcional... o medico relatou que eu poderia ter sangramentos (menstruação) no decorrer dos dias, mesmo tomando anticoncepcional, mas em momento algum devo interromper com o uso do remédio, deveria sequenciar com a posologia recomendada na bula. - ingerir 21 comprimidos (1 por dia), interromper por 1 semana e no 8º dia sequenciar com uma nova cartela. O medico também relatou que 4 coisas não poderiam acontecer após o procedimento, o qual eu deveria ficar bem atenta caso ocorra e entrar em contato com ele o mais rápido possível, ele me levaria num hospital caso houvesse necessidade: 1 – Forte cheiro nas vias urinarias, cheiro de podridão não pode ocorrer 2 – Muita dor, é normal que sinta cólicas ou leves incômodos, mas não posso sentir dores extremas de contração por exemplo 3 – Muito sangramento, é normal que respingue gotas de sangue, mas sangramento excessivo é sinal de alerta 4 – Febre Tambem foi recomendado que não fizesse muito esforço físico nas próximas horas, poderia me alimentar com qualquer comida, mas que preferencialmente abdicasse de comidas pesadas (tais como feijoada, carne de porco, fast food), relação sexual seria interessante após 2 semanas, mas desde que esse episodio fosse tido como aprendizado para que evite uma gravidez indesejada novamente, ou seja, era preciso usar o anticoncepcional regularmente e até mesmo preservativo para melhores garantias (pelo menos enquanto o organismo se regularize). Inclusive esse procedimento não iria tirar minha fertilidade caso eu queira engravidar nos próximos meses, nada afetaria. Por garantias do sucesso no procedimento, o medico também me forneceu uma guia de exame, o qual nos próximos 10 dias deveria ser feito uma ultrassonografia intravaginal para verificar que realmente houve uma limpeza do útero e de fato não estaria mais gravida, era a única garantia que poderia nos dar. Inclusive relatou que eu não deveria fazer o exame Beta, pois o mesmo daria positivo devido ao excesso de hormônio que estaria presente no meu corpo pela recente gravidez (mesmo que interrompida). Pois bem, recomendações feitas, chegou a hora! Troquei de roupa, deitei na cama e recordo-me dele preparando a veia do meu braço para injetar a anestesia (que ficou na altura do pulso), conversei com ele para que pudesse ficar um pouco mais calma, afinal, eu nunca tinha passado por uma situação semelhante, nem sequer alguma outra cirurgia. Ele era um senhor que aparentava seus 50 e poucos anos e relatou que és medico a muitos anos, o procedimento que o mesmo estava realizando em mim, ele aprendeu desde cedo na faculdade e não é legalizado no Brasil devido a cultura popular, mas que em outros países são realizados normalmente, inclusive ele fez diversos desses em Londres. Dali em diante, eu apaguei...alias, não lembro de nada, meu namorado que estava na sala de espera ao lado, fala que escutou minha voz durante todo o processo e que aparentemente estava consciente, mas sinceramente não me recordo. Vagarosamente, lembro dele já ao meu lado na maca, emocionado por ter passado pela experiência e questionando se estava tudo bem comigo, eu o respondi, mas não sei exatamente o que. Levantei da maca aos poucos e por sugestão do medico, ele quis que eu andasse pela clinica e ver as minhas reações, aparentemente eu estava normal, mas tenho uma recordação muito pouca, não me lembro. Saimos da clinica, passamos na farmácia para aquisição dos remédios, fomos pra casa, jantei um miojo (sem tempero) e fatias de maçã, além de beber muita agua, depois cai em sono profundo. Senti algumas cólicas, mas superável. Tambem fui tomar banho, tirei o absorvente interno cirúrgico, era como se fosse um pano que não havia mais fim, ele estava com muito sangue, mas normal pelo procedimento. Dali em diante, foi tudo tranquilo, espantosamente, não senti nada de mais, a recuperação foi muito boa, confesso que ate me assustei que poderia ter sido enganada, posso ate dizer que senti mais dores ao ser injetada por Bezetacil ou ate mesmo a recuperação após a extração do siso, foi pior do que o procedimento que realizei neste sábado. Fisicamente não nos abala, apenas o emocional, mas isso varia de cada pessoa. 10 dias depois compareci num laboratório de diagnostico, fiz a ultrassonografia intravaginal que foi recomendada pelo medico e constatei que não havia nenhum volume em meu útero, alias, o mesmo estava um pouco inchado devido a gestação, mas que seria regressivo com o passar dos dias. Para que eu pudesse ter mais tranquilidade, dia seguinte marquei uma consulta com outra ginecologista, o qual relatei toda minha experiência, apresentei os exames, que confirmou todas as recomendações dadas pelo doutor que fez o procedimento em minha pessoa, bem como, deu como prazo de uns 3meses para que meu útero voltasse ao normal, mas isso é relativo de mulher pra mulher. Enfim...essa é nossa historia (minha e de meu namorado), que venho através desse site (que muito nos ajudou na época) relatar a experiência a fim de tranquilizar casais que assim como nós, ficaram sobre um forte desespero pela noticia indesejada de gravidez e a convicção de efetivar um aborto. Ressalto que não é uma decisão fácil, envolve uma serie de fatores, especialmente emocionais e religiosos, mas em nossa concepção foi o melhor a ser feito, haja vista que me prevenimos no ato e lamentavelmente o remédio não surtiu efeito. Ainda assim, tenho um forte desejo em ser mae, mas em seu tempo certo! Não recrimino quem faça esse procedimento, desde que o mesmo seja consciente e aconselho minhas amigas próximas de se prevenir e evitar passar pela experiência que passei, pois não sou a mesma de antes, é muito marcante na vida de um ser humano. Mas está tudo bem comigo!!

What was your situation at this time?

1 - Utilizei pilula do dia seguinte (Diad) de acordo com as orientações e o remedio falhou. 2 - Inicio de um relacionamento 3 - Intercambio

Did the illegality of your abortion affect your feelings?

me senti preocupada com o procedimento, haja vista que em meu pais sao é regulamentado e nao se sabe a procedência dos profissionais da area, alem da dificuldade em encontrar quem o realize.

How did other people react to your abortion?

As poucas pessoas que souberam apoiou a decisao

legal/illegal

What is your religion?