Gabriela

Condividi la tua storia

Você não está sozinha!

2018 Brasile

What were your feelings about doing the abortion/s?

Tive receio apenas pela questão de ser ilegal. Medo de ser descoberta, julgada e sofrer penalidades jurídicas.

How did you do the abortion?

Engravidei em uma noite de sexo casual com um rapaz que eu conhecia há anos, fizemos coito interrompido e cheguei a usar a pílula do dia seguinte. Duas semanas depois a minha menstruação atrasou, mas eu achei que fosse pelo fato de eu ter usado a pílula e ela podia ter desregulado meu ciclo. Passados mais umas 2 semanas eu já preocupada fiz o teste de farmácia e quando apareceu o resultado positivo vi meu mundo desabando. Chorei no chão do banheiro, sem querer acreditar no que estava acontecendo. Tinha uma viagem marcada para aquele mesmo dia e no caminho comprei mais 2 testes. Chegando no meu destino, fiz todos os testes e ambos mostraram positivo, já completamente desesperada e certa de que não queria levar aquilo a diante, busquei ajuda em um grupo de mulheres. Lá encontrei um contato para conseguir os comprimidos de cytotec. Ela me pediu que fosse ao médico e fizesse um ultrassom para saber a idade gestacional e assim poder me orientar melhor. Sentia muito cansaço e fome, feliz por não ter enjoos, mas completamente angustiada por não saber como seria, se conseguiria tirar... muito triste por não querer passar por uma gestação, por não querer um filho naquele momento da minha vida. Assim que voltei de viagem fui ao médico e marquei o exame que mostrou que eu estava com sete semanas e 3 dias, chorei durante o ultrassom.. escutei os batimentos cardíacos e sai da sala ainda em lágrimas, recebendo os parabéns de toda equipe médica. Estava mais sensível e era impossível ser indiferente, mas estava certa de que não queria um filho. Imediatamente entrei em contato com a vendedora do cytotec. Ela me pediu o valor de 900 reais pelos comprimidos e pra mim esse valor é um tanto fora do meu orçamento. Não contei para o pai da criança, nem estávamos nos falando mais e tive medo dele ser contra e até mesmo de ser denunciada. Me abri com duas amigas e um amigo, que me deu suporte emocional e me ajudou a pagar. Combinei de buscar os comprimidos depois de ter pago metade do valor. A ilegalidade nos coloca em uma situação vulnerável, meu futuro e meu dinheiro em jogo, sem saber se iriam me dar comprimidos falsos, se sumiriam com a parte que eu já havia pagado, eram muitos pensamentos, mas eu só tinha a certeza de que não queria um filho naquele momento e iria até as últimas consequências. Busquei os comprimidos, senti segurança com a menina que me vendeu e resolvi usa-los no dia seguinte. Durante a noite fiz uma meditação, pedi perdão para aquele serzinho que estava a se formar, pedi perdão a mim mesma, mas tive muita serenidade, senti que isso era liberdade, que meu corpo e minha vida não tinham que mudar dessa forma se assim eu não quisesse. Foi um momento difícil de assimilar porque durante toda a minha vida eu já vi outras mulheres sendo julgada e toda a castração mental que gira em torno desse assunto. Fui dormir em paz comigo mesma e com a total certeza de que só eu podia opinar sobre algo que estava acontecendo dentro de mim. Assim que acordei, mantendo jejum, usei 2 comprimidos e esperei por duas horas, não tive nenhum sintoma. Usei mais 4 comprimidos e em duas horas tive sangramento, mas sem dor. Depois vieram cólicas leves e diarréia, e eu mantinha minha mente calma, pensando que tudo ia se resolver em breve, senti fome, comi, bebi água e assisti um filme. Passadas 6horas eu tive cólicas mais intensas, nada insuportável, tive ânsia de vômito e resolvi tomar um banho quente para tentar relaxar. As cólicas estavam presentes e em um momento saiu o saco gestacional, um pouco mais de sangue e no mesmo instante as cólicas sumiram. O alívio não era só físico! Eu me sentia intensamente feliz por tudo ter dado certo e por ter acontecido bem mais tranquilo do que imaginava e do que tinha lido. Permaneci com sangramento parecido com menstruação por alguns dias e não tive nenhum tipo de complicação! Nenhuma mulher deve passar por uma gestação se ela não quiser! E também não deve fazer um aborto sofrendo pressão de parceiro ou família. Temos que ser livres para escolher. Depois de passar por isso quebrei completamente os preconceitos que cresci ouvindo,os julgamentos, os dedos apontados sempre diminuindo as mulheres. Coisas como: "vagabunda engravidou pq quis" "na hora de fazer foi bom, agora q sofra as consequências" entre outros. Não sinta medo, não se deixe levar pela cabeça dos outros! Cada um sabe de si e cada um deve tomar as decisões de sua própria vida sem medo do que os outros vão pensar!

What was your situation at this time?

L'illegalità del suo aborto ha influenzato i suoi sentimenti?

Tive medo de ter qualquer tipo de complicação e ter que buscar ajuda médica, assim me expondo a penalidades e julgamentos da equipe médica que poderiam me tratar mal e me denunciar

Come hanno reagito le altre persone al suo aborto?

Poucas pessoas ficaram sabendo e apenas uma amiga não me apoiou, por medo de possíveis consequências.

legal/illegal

What is your religion?

carolina

Interrumpi mi embarazo de un mes y medio

Lala ...

Um mal necessário.

xjustynax

Od stycznia tego roku, poczułam, że w końcu zdobyłam mężczyznę którego tak…

Ella

I was so scared but it was right and I know deep in my heart now.

Almma Crysta

Supe de mi embarazo el 19 de enero de 2018 por una ecografía transvaginal que…

Ale

Muy difícil decisión

Maria Lopez

pensando en que dirán

Carla

Meu nome não é esse. Não posso me expor, não posso dizer demais. Fico no…

Laura Helena

Olá meninas , me chamo Laura , tenho 21 anos ,uma filha linda de 2 aninhos e…

A .

16 semanas de terror

Allison

My abortion was 100% my choice.

Alice

Nunca imaginei que tomaria essa decisão, mas foi melhor no momento...

C. Ferreira

Pior dia da minha vida

Fer

Moro no Brasil! Aqui é proibido! Namorei um rapaz durante 6 anos! Passei por…

A alexandra

Mi futuro, mi familia

Magda

Może jestem bez serca ale niczego nie żałuję. ja chyba nie nadaję się na matkę…