Clarice

Comparta su experiencia

Sempre fui a favor do aborto, não por uma questão feminista, mas por acreditar que o livre arbítrio existe para que cada um seja dono de suas próprias escolhas.
Tive um "casinho" com um cara do meu trabalho. Ficamos algumas vezes e na última vez acabamos indo para um motel.
Eu não tomo anticoncepcional há algum tempo e não usamos camisinha na hora da empolgação, o que me fez tomar a pílula do dia seguinte em questão de horas depois da última relação.
Jamais achei que engravidaria, mas quase 1 mês depois eu já notava que estava frequentemente enjoada, com dor nos seios e me sentindo cansada pra caramba. Fui ao hospital e passei direto com um ginecologista e obstreta porque a menstruação estava atrasada. Fiz exame de urina e estava completamente tranquila, até que o resultado foi positivo para gravidez e o meu mundo desabou.
Confiei na eficácia da pílula do dia seguinte, que foi um grande erro. Não ter usado camisinha e não tomar anticoncepcional foi outro.
Enfim, nunca tive o desejo de ser mãe, ainda mais nas circunstâncias atuais: sou solteira, não tinha um relacionamento estável com o cara (o qual mostrou-se um grande babaca depois, deixando claro que queria apenas sexo e nada mais) e estou em um momento importante da minha carreira, com projetos grandes que tomam muito o meu tempo e energia.
Nunca tive dúvidas de que precisava fazer um aborto, mesmo sabendo que aqui no Brasil é crime e que a grande maioria das pessoas não são capazes de entender uma mulher que não deseja ser mãe e prefere interromper a gravidez.
Apenas minha mãe, minha irmã, meu terapeuta, minha melhor amiga e um amigo souberam. Minha mãe e minha irmã deixaram claro que não concordavam, mas respeitaram a minha decisão. Inclusive, minha irmã que me ajudou a encontrar o Cytotec, o qual eu achei somente depois de levar um golpe (comprei com um cara na internet que nunca me mandou o medicamento). Depois, minha irmã achou o contato de uma mulher pelo facebook e aí encontramos com ela para buscar. Gastei uma boa grana com isso e acho uma pena que no Brasil tenha que ser assim. Senti na pele a angústia de ter que lidar com um acontecimento que você não quer e que tentou evitar, mas isso durou poucos dias.
Tomei primeiro 4 comprimidos e depois de 2 horas tomei mais 2, estava de 7 semanas, quase 8. Todos foram tomados de forma sublingual. Em questão de 1 hora e meia depois da primeira dose, já tive sangramento.
Senti muita dor, tive contração, muita cólica e um pouco de febre, mas foi suportável. O cara não sabe até hoje que eu fiquei grávida e muito menos que abortei, mas sei que se soubesse, apoiaria o aborto. A questão é que eu não precisava de absolutamente nada dele e seria igual se decidisse ter o filho.
Enfim, 1 semana depois eu fui ao médico e disse que estava com sangramento. Fiz exame e foi considerado que eu tive um aborto espontâneo.
O que eu falo para quem está nessa situação é que não está sozinha. Não importa o que a maioria pense ou fale, o corpo é seu, é sua vida, sua decisão. Um filho não é brincadeira, é uma responsabilidade para a vida toda. Acho que crime é levar adiante uma gestação sem ter vontade e sem sentir amor pela criança. Se for para ser assim, acho mesmo que o aborto é totalmente válido, porque nada pode ser pior que ser indesejado pela própria mãe.
Outra coisa, quanto menos pessoas souberem, melhor. Porém, é fundamental que você tenha pelo menos alguém com quem possa contar, porque apoio ajuda e muito nesse momento delicado.
Se houvesse uma forma segura de eu passar meu contato para ajudar as mulheres que passam por isso, eu não pensaria duas vezes porque sei o quanto é angustiante.
Enfim, faz menos de 2 semanas que realizei o aborto e não me arrependo, mesmo ouvindo da minha própria mãe que "isso é horrível, você é cruel, não sei como não sente remorso", entre outros tantos julgamentos. Minha resposta é sempre a mesma: fiz o que era melhor para mim. Meu corpo, minha vida.
Força para vocês e não se esqueçam: você não está sozinha.

2015 Brasil

¿Cuáles fueron sus sentimientos acerca de hacer el aborto (s)?

No começo eu senti culpa e cheguei a ter a sensação de que eu era uma criminosa, um monstro. Depois entendi que esses sentimentos não são meus e sim de uma sociedade machista e moralista, com a qual eu não me identifico.

¿Cómo hizo el aborto?

Mais tranquila do que eu pensava. Os sintomas foram suportáveis e o método foi eficaz.

¿Cuál era su situación en ese momento?

Nunca senti vontade de ser mãe.

¿La ilegalidad del aborto afectó sus sentimientos?

Sim. É horrível fazer algo que você considera normal enquanto o resto do mundo enxerga como um crime.

¿Cómo reaccionaron otras personas a tu aborto?

Poucas souberam e a maioria foi contra.

lega/ilegal

Qué religión profesa?

Brenda

Having an abortion was the right thing for my family.

N.

Historia właściwie była dość typowa, sex, pęknięta gumka, spóźniający się okres

CJ Koivuniemi

I had an abortion. I was twenty years old and living in Ireland, a country…

Blue

The decision was easy, but the emotions were not.

The person who got me…

Sara

Siedziałam przed psychiatrą, opowiadając jej wydarzenia sprzed ostatnich…

Leslie

Mi libertad de elegir

Na

Pois tenho direito de escolher o que é melhor pra mim! O importante é não se…

Bruna

seria diferente se fosse legalizado

Tina

I had an abortion when I was 15 years old. After my abortion, I went to college

Jamie

And I am so happy! I am so lucky that I had the choice to have an abortion! The…

Bia Li

Me encontro na cama deitada nesse momento, após ter passado um dia inteiro no…

Jen

I had an abortion and I'm so pleased that I had that option. I was only 18…

Rike

It was a birthday

K

Medical abortion is easy, provides instant relief

Fernanda

Hola mi nombre es fernanda tengo 23 años y mi historia comenzo cuando un condon…

Silvia

Nunca arrepentida

Lea

Kobieto, jeśli zaszłaś w niechcianą ciążę, to nie wahaj się ani chwili. WOW…